Flávio Dino: Não conheço especialistas que defendam sentença de Moro

Cotidiano
Typography

Dino e Lula em 2016: "Não conheço especialistas em Direito Penal que defendam aquela sentença absurdamente precária"

Por Rede Brasil Atual

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que é advogado e ex-juiz federal, considera frágil "e absurdamente precária" a sentença contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em rede social, ele afirma ser "ínfima" a chance de o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmarem a decisão. "Imensa maioria de juristas do país diz isso. Ou seja, uma eventual condenação em 2ª instância só serviria para tentar gerar inelegibilidade em 2018. O que a tornaria ainda mais iníqua."

PUBLICIDADE

Segundo ele, a sentença é frágil, inicialmente, porque não tem relação com a Petrobras. Consequentemente, o juízo (a Vara Federal de Curitiba) não era competente. "Lula não solicitou ou recebeu apartamento, que continua sendo da OAS; não houve a contrapartida de Lula como funcionário público (ato de ofício). Portanto, não houve crime", acrescenta Dino.

"Tenho absoluta convicção JURÍDICA sobre esse tema do triplex. E não conheço especialistas em Direito Penal que defendam aquela sentença absurdamente precária. Espero que o TRF 4ª Região aplique bem o Direito ao caso", afirma ainda o governador maranhense.

"Muitos desejam fazer julgamento POLÍTICO do ex-presidente Lula. Há dia e local para fazê-lo. Nas urnas, no dia da eleição. Tribunais não devem servir para isso. Que deixem Lula ser candidato e que o povo o julgue politicamente", conclui.

Artigos Relacionados

No Brasil, trabalho informal é a nova regra No Brasil, trabalho informal é a nova regra
ECONOMIA Emprego sem carteira assinada superou o formal pela vez em 2017. No ano passado foi a...
'Febre ruralista' afeta 61% dos deputados federais 'Febre ruralista' afeta 61% dos deputados federais
'RURALÔMETRO' Ferramenta da ONG 'Repórter Brasil' contou com a participação de entidades de...
Juízes reproduzem Juízes reproduzem "senhor de engenho" na aplicação de penas, diz pesquisadora
JUSTIÇA Debate sobre seletividade penal é reacendido depois que um homem negro acabou preso...

Leia mais

Correio Caros Amigos

 
powered by moosend
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade