Mulheres se manifestam contra o impeachment no Rio e em SP

Cotidiano
Typography

 

Organizado por movimentos populares feministas que fazem parte da Frente Brasil Popular, ato reúne cerca de 3 mil mulheres

Do Brasil de Fato

Movimentos populares e feministas que fazem parte da Frente Brasil Popular ocuparam a Praça Roosevelt, em São Paulo, e o Circo Voador, no Rio de Janeiro, para manifestar a oposição das mulheres ao impeachment da presidenta da República Dilma Rousseff. Segundo as organizadoras, mais de 3 mil pessoas participaram dos atos nas duas cidades: 2.000 no Rio e 1.000 na capital paulista. Segundo a PM, o público foi de 600 e 350 pessoas, respectivamente.

Intervenções culturais, como dança, poesia, música e grafite, foram organizadas pelas mulheres da Frente Brasil Popular, que veem a necessidade de contribuir com a consciência feminista "nos bairros, nas universidades, nas fábricas e onde mais as mulheres estiverem". "Não basta se organizar somente junto com os outros movimentos. É fundamental ter o nosso olhar sobre o golpe e o nosso olhar sobre a democracia que queremos construir", explica Sonia Coelho, que milita na Marcha Mundial das Mulheres em São Paulo e faz parte da organização do ato.

Leia mais:

'Não há nenhum fundamento para impeachment de Dilma', diz secretário-geral da OEA

Honduras e Paraguai, pistas para o golpe em curso no Brasil

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Formadoras de opinião estiveram presentes no ato, como a atriz Bete Mendes e a economista Maria da Conceição Tavares, no Rio de Janeiro, e a atriz Maria Casadevall (que atuou recentemente na novela I love Paraisópolis, da Rede Globo), em São Paulo.

Em entrevista ao Brasil de Fato, Maria se posicionou publicamente contra o impeachment pela primeira vez: "Eu tenho ido às manifestações e, até então, a minha imagem era uma representação do meu discurso. Mas essa noite chegou e eu resolvi me posicionar, argumentando e estando junto com essas mulheres e com as pessoas que acreditam que o impeachment não é a melhor saída para democracia. Então, vamos às ruas, porque já existe muito espaço para o outro discurso".

Golpe machista

"Hoje eu vim me mobilizar porque acho muito importante somar para mudar as perspectivas atuais. Como artista, a gente consegue influenciar as nossas companheiras, as nossas crianças e os nossos jovens. E o que eu acho que está acontecendo é uma briga muito feia no sentido de detonar a presidente", argumentou Tula Pilar Ferreira, poetisa, escritora e dançarina.

A coordenadora e regente do grupo Ilu Oba de Min, Mazé Cintra, argumentou também sobre a importância de apoiar o governo no atual momento. "A gente resolveu apoiar o 'não impeachment' pelo grave retrocesso à democracia e ao pouco que a gente conseguiu nesses últimos vinte e poucos anos. E também pela presidenta Dilma, porque além de político, este é um golpe machista". O grupo fez o encerramento do ato, por volta das 21h.

Presença LGBT

Valeryah Rodriguez, conselheira municipal LGBT da cidade de São Paulo e membro da União Nacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (UNALGBT), apontou a necessidade de se posicionar contra um possível golpe. "Não é de hoje que nós, travestis e transexuais, lutamos por direitos. E, quando a gente consegue um pouco, já querem nos tirar. Por isso, o que nós queremos hoje junto com as mulheres nesse movimento é que a democracia prevaleça, e que os nossos direitos continuem a ser cada vez mais respeitados".

Artigos Relacionados

Combate ao feminicídio não pode ser reduzido ao Direito Penal Combate ao feminicídio não pode ser reduzido ao Direito Penal
ANÁLISE Em entrevista, a socióloga Luanna Tomaz comenta os dados do estudo realizado pelo Banco...
Holofotes para o goleiro Bruno banalizam o feminicídio, dizem jornalistas Holofotes para o goleiro Bruno banalizam o feminicídio, dizem jornalistas
FEMINICÍDIO O goleiro Bruno Fernandes de Souza foi apresentado nesta terça (14) como...
Cartilha busca ensinar homens sobre machismo e masculinidade Cartilha busca ensinar homens sobre machismo e masculinidade
EMPODERAMENTO Núcleo de Direitos da Mulher da Defensoria Pública paulista lança material did...

Leia mais

Correio Caros Amigos

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×