A ocupação das escolas contada pelos alunos

Cultura
Typography

 

Obra aborda o movimento secundarista que tomou conta do País em 2016

Da Redação

O movimento de ocupação de escolas por alunos e contra a reforma do Ensino Médio, que atingiu mais de mil escolas no Paraná, é retratado no documentário Ocupa Tudo: Escolas Ocupadas no Paraná, dirigido por Carlos Pronzato e publicado esta semana Youtube. Por meio de relatos principalmente dos alunos, Pronzato mostra como se iniciaram as ocupações e os resultados do movimento no cotidiano e nas relações dos alunos que se envolveram nas ações. Os secundaristas começaram a ocupar suas escolas como forma de protesto a partir do conhecimento da experiência no Chile, que ficou conhecida como “Revolta dos Pinguins”. A primeira ocupação aconteceu em São Paulo e conseguiu evitar a implantação de mudanças propostas pelo governo do Estado.

No Paraná, no entanto, o movimento reagiu à proposta de reforma do governo federal e se espalhou por todo o País. A reforma do Ensino Médio acabou aprovada pelo Congresso e no último dia 11, técnicos das secretarias estaduais de educação se reuniram no Centro Paula Souza, na capital de São Paulo, para discutir a implantação do ensino em tempo integral, educação profissional e ensino médio regular, propostas pela reforma.

Leia mais:

Thiago de Mello: “Vivemos ocupação estrangeira”

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Ilú Obá de Min: 12 anos de protagonismo das mulheres negras e exaltação da cultura afro

Mandando fascistas para o inferno: Perfil de Woody Guthrie

O encontro foi realizado pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), em parceria com o Itaú BBA, por meio do Grupo de Trabalho do Ensino Médio, e deverá criar um plano de ação para implantação da nova linha “ainda no próximo mês”. Os técnicos estão esbarrando na formação dos professores que compõem o quadro funcional da educação pública, que não tem formação para educação profissionalizante, por exemplo, e na dificuldade de se entender a proposta de maneira geral.

O documentário de Pronzato, por meio da fala dos alunos e dos professores, mostra o que a comunidade escolar pensa sobre a proposta do governo Temer. O diretor explica que o filme é uma produção “coletiva, colaborativa e de natureza independente, viabilizada pelo envolvimento de sujeitos que estiveram na linha de frente do movimento”. Foi lançado em Curitiba em dezembro de 2016 e no Fórum Social Mundial em Porto Alegre no início deste ano.

Ficha Técnica

Ocupa Tudo: Escolas Ocupadas no Paraná
Direção, Produção e Roteiro: Carlos Pronzato
Edição: Renato Bazan
Finalização: Taynan de Carvalho
Produção Executiva: Valeria Arias, Giselle Schnorr, Carlos Mandacaru
Câmeras: Carlos Pronzato, Taynan de Carvalho, Bruna Kurzlop
Música: Mel da Mocidade gentilmente cedida por Chico César
Ano: 2016
Duração: 60 min

Artigos Relacionados

"Margens do Velho Chico" e as histórias de seca, violações e esperança ao longo do rio
ÁGUA PARA O SERTÃO Em quatro capítulos, especial desvenda parte do projeto de transposição...
Cultura deve democratizar a relação com a cidade, diz Juca Ferreira Cultura deve democratizar a relação com a cidade, diz Juca Ferreira
ENTREVISTA Ex-ministro dos governos Lula e Dilma assume coordenação de cultura de Belo...
 “A cultura da cidade de São Paulo está agonizando”, denuncia artista em ocupação de Secretaria de Cultura “A cultura da cidade de São Paulo está agonizando”, denuncia artista em ocupação de Secretaria de Cultura
FORA STURM Após ameaça de agressão, movimento pede saída de André Sturm do cargo de secretário...

Leia mais

Correio Caros Amigos

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×