'Serviços de inteligência estrangeiros' podem estar ligados a atentado em Istambul

Internacional
Typography

'Serviços de inteligência estrangeiros' podem estar ligados a atentado em Istambul

Por Sputnik Brasil

O vice-primeiro-ministro da Turquia Numan Kurtulmus, falando ao jornal Hurriyet Daily News, disse que a forma demasiado profissional não permite descartar a versão de apoio de "serviços de inteligência estrangeiros".

Após as autoridades da Turquia terem identificado o assassino que matou 39 e feriu 69 na boate Reina, Kurtulmus declarou:

"Sou de opinião que não é possível que o perpetrador tenha realizado um ataque destes sem qualquer apoio. Parece uma coisa de serviços secretos. Todas estas coisas estão sendo avaliadas."

PUBLICIDADE

Contudo, o político não especificou os serviços especiais de que país estariam implicados.

Ele também mostrou sua preocupação que, com apoio de inteligência estrangeira, outros potenciais atacantes possam escapar à atenção dos serviços de segurança turcos.

Mais cedo na quarta-feira, o chanceler turco Mevlut Cavusoglu declarou que as autoridades do país conseguiram identificar o terrorista do grupo Daesh (proibido na Rússia) que realizou o ataque contra a boate Reina. Recusando-se a divulgar a identidade do criminoso, o chanceler turco informou que "os esforços para o capturar continuam" e que o ataque foi "planejado profissionalmente".

Artigos Relacionados

Turquia ameaça romper com Israel se Jerusalém for reconhecida como capital pelos EUA Turquia ameaça romper com Israel se Jerusalém for reconhecida como capital pelos EUA
ORIENTE MÉDIO Mudança da embaixada norte-americana para Jerusalém coloca em risco relações...
Assassinato de embaixador russo é 'provocação' com objetivo de prejudicar processo de paz na Síria, diz Putin Assassinato de embaixador russo é 'provocação' com objetivo de prejudicar processo de paz na Síria, diz Putin
EURÁSIA Andrei Karlov foi assassinado por policial turco em Ancara; presidente russo afirmou...
Político turco: Nós aceitamos operação militar na Síria, mas não para iniciar lá a guerra Político turco: Nós aceitamos operação militar na Síria, mas não para iniciar lá a guerra
GEOPOLÍTICA O vice-presidente do Partido do Movimento Nacionalista oposicionista Mevlut...

Leia mais

Correio Caros Amigos

 
powered by moosend
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade