França: Mélenchon, candidato de esquerda, cresce e empata com direitista para presidência

Internacional
Typography

 

Mélenchon fez comício para 70 mil pessoas em Marselha

Do Opera Mundi

O candidato de esquerda Jean-Luc Mélenchon (do partido A França Insubmissa) cresceu nas últimas pesquisas para a eleição presidencial na França e aparece em empate técnico com – ou superando – François Fillon, candidato de direita do partido Os Republicanos.

A sondagem do instituto BVA, publicada na sexta (10/04), coloca, no primeiro turno, Marine Le Pen (Front National, extrema-direita) e Emmanuel Macron (En Marche, centro) com 23% das intenções de voto cada um, seguidos por Fillon e Mélenchon, com 19%, e por Benoît Hammon, do Partido Socialista, com 8,5%. Mélenchon subiu quatro pontos em relação à semana anterior.

Leia mais:

Professores da Argentina param por 24 horas após violência policial durante protesto em Buenos Aires

O discurso de ódio

Konder Comparato: "Não está fora de cogitação um novo golpe"

Já a pesquisa da Kantar, encomendada pelos canais LCI, RTL e pelo jornal Le FIgaro, põe Macron e Le Pen com 24%, Mélenchon com 18%, Fillon com 17%, e Hamon, com 9%.

Neste final de semana, o candidato de esquerda fez um grande comício em Marselha, no qual reuniu 70 mil pessoas, em que fez um discurso dizendo que será o “presidente da paz.” “Devemos chegar à raiz dos problemas e resolvê-los. A imigração é sempre um exílio forçado, o sofrimento. É hora, acima de tudo para pôr fim às guerras que assolam o Sul”, afirmou.

“As guerras nunca deixaram de ser outra coisa senão uma disputa para monopolizar matérias-primas”, prosseguiu, criticando o presidente dos EUA, Donald Trump, pelo bombardeio na Síria. Para Mélenchon, o ataque não tem "nenhum fundamento, nenhuma legitimidade internacional."

 

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Segundo turno

 

Os resultados nas pesquisas abriram a especulação sobre se Mélenchon estará no segundo turno, discussão que, até semana passada, só envolvia os nomes de Le Pen e Macron. Isso fez com que Mélenchon passasse a ser atacado.

 

Macron reagiu ao discurso do postulante de esquerda em Marselha. “Isso que ele propõe não é paz. Ele propõe nos desarmar e pensar que tudo vai ficar bem. Na melhor das hipóteses, é ingenuidade; na pior, é irresponsabilidade”, afirmou.

 

Já o secretário-geral d’Os Republicanos, Bernard Accoyer, chamou nesta segunda-feia (10) Mélenchon de “utopia” em entrevista ao programa de TV L’Opinion.

 

Uma pesquisa mostra que, em um eventual segundo turno entre Mélenchon e Le Pen, ele ganharia com 57% dos votos.

 

 

 

Artigos Relacionados

Portugal: as causas ocultas do mega-incêndio Portugal: as causas ocultas do mega-incêndio
DESERTO VERDE Um naturalista português explica: florestas foram substituídas por eucaliptos;...
Em ato público, Cristina lança frente partidária e critica Em ato público, Cristina lança frente partidária e critica "agressão neoliberal" de governo Macri na Argentina
ARGENTINA Ex-presidente não confirmou candidatura ao Senado, mas disse que se somará a esfor...
Constituinte pretende pacificar Venezuela por meio da participação popular Constituinte pretende pacificar Venezuela por meio da participação popular
NOVA CONSTITUIÇÃO Convocação é contestada por oposição e setores da sociedade (Foto:&...

Leia mais

Correio Caros Amigos

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×