Macron nomeia conservador Édouard Philippe como primeiro-ministro da França

Internacional
Typography

Macron nomeia conservador Édouard Philippe como primeiro-ministro da França

Por Opera Mundi

O presidente da França, Emmanuel Macron, nomeou nesta segunda-feira (15) Édouard Philippe, que até agora era deputado na Assembleia Nacional pelo partido conservador Os Republicanos e prefeito da cidade portuária de Le Havre, como o novo primeiro-ministro do país. Segundo a lei francesa, o presidente é o responsável por escolher o premiê.

O partido de Philippe é o mesmo de François Fillon, que foi adversário de Macron nas últimas eleições, mas não chegou ao segundo turno. O novo primeiro-ministro ajudou na campanha de Alain Juppé, que foi adversário de Fillon nas primárias d’Os Republicanos.

Leia mais:

Governo Temer enfraquece Estatuto do Desarmamento e fortalece letalidade no País

Trabalhador pilhado

Chomsky: "A ideologia de Trump é autoritária e perigosa"

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Philippe toma posse ainda nesta segunda, quando recebe o cargo de Bernard Cazeneuve, premiê que termina o mandato.

Em uma primeira reação, Juppé disse à imprensa que Philippe "é um homem de grande qualidade para a difícil missão que lhe encarregou o presidente" e "um deputado que conhece bem os segredos da vida parlamentar".

Seu principal desafio será colocar em prática as prioridades do chefe de Estado, sabendo que, para isso, terá que conseguir uma maioria parlamentar nas eleições legislativas de junho.

"Dualidade"

Ao término do primeiro turno das eleições presidenciais, quando se soube que Macron enfrentaria a candidata da extrema direita Marine Le Pen, Philippe disse que, uma vez no poder, o atual chefe do Estado "teria que optar pela transgressão".

Em um artigo publicado no jornal Libération em 3 de maio, Philippe considerou que seria necessário "deixar a dualidade antiga, cultural, institucionalizada e confortável da oposição entre direita e esquerda para constituir uma maioria de um novo tipo", mas também advertiu que o "sistema" traria dificuldades.

O secretário-geral do Palácio do Eliseu, Alexis Kohler, foi o encarregado de anunciar que Macron tinha escolhido Philippe, e que "o encarregou de formar o novo governo", indicando os novos ministros. Espera-se que isso aconteça ainda nesta terça (15/05), antes da realização do primeiro Conselho de Ministros, na quarta-feira.

O anúncio aconteceu pouco antes de o chefe de Estado francês deixar o Palácio do Eliseu com destino a Berlim, onde tem uma reunião com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, para falar do relançamento do projeto europeu.

Artigos Relacionados

"Putin Interviews": Oliver Stone desafia o excepcionalismo americano
ORIENTE Assistir a série de documentários de Stone sobre Putin é obrigatório para o pú...
Suprema Corte dos EUA aceita julgar veto migratório de Trump e permite que norma entre parcialmente em vigor Suprema Corte dos EUA aceita julgar veto migratório de Trump e permite que norma entre parcialmente em vigor
XENOFOBIA Cidadãos de Irã, Somália, Iêmen, Líbia, Síria e Sudão, países de maioria muç...
Temer na Noruega: fiasco e humilhação Temer na Noruega: fiasco e humilhação
CRISE Acossado por denúncias, presidente buscou agenda positiva, mas encontrou protesto, cometeu...

Leia mais

Correio Caros Amigos

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×