Ministro da Justiça repete teoria racista para dizer que reconhece criminoso “pelo olhar”

Política
Typography

"Outros são aqueles que você olha nos olhos e quer passar longe. É um potencial assaltante, criminoso. A gente não quer isso nas ruas".

No Justificando

O ministro da Justiça recém empossado, Osmar Serraglio, afirmou na última quinta-feira (9) que consegue identificar um potencial criminoso ao “olhar nos olhos” dele. A afirmação foi feita em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, assim que assumiu o cargo nesta terça-feira (7), quando o ministro foi questionado sobre qual a proposta para a superlotação dos presídios. Veja a resposta completa:

"Existem bandidos e bandidos, como em qualquer circunstância. Os bandidos de menor gravidade precisam de outro tratamento. Um exemplo que eu tenho dado é do usuário e do traficante. Um grupo de estudantes viciados, usuários. Na hora que te pegarem, você vai preso como um traficante. Outros são aqueles que você olha nos olhos e quer passar longe. É um potencial assaltante, criminoso. A gente não quer isso nas ruas".

Leia mais:

Povos indígenas repudiam o ministro da Justiça anti-indígena

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

A chantagem de Cunha a Temer deu certo?

De OAB à base aliada no Congresso, cresce oposição social à Reforma da Previdência

Serraglio, que é conhecido por sua posição contrária aos direitos indígenas e sua aliança com Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ocupa a vaga deixada porAlexandre de Moraes, novo ministro no Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro disse ainda que nunca defendeu anistia à Cunha e que este é um erro da imprensa. Quando questionado sobre a articulação com o peemedebista para ser presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), Serraglio disse, no entanto, que é mentira, uma vez que ele “brigou pelo seu lugar”.

Sobre a fala de Serraglio, o delegado de polícia civil do Rio de Janeiro, Orlando Zaccone, manifestou em suas redes sociais. Para ele, “a Justiça sempre retirou a venda para olhar nos olhos da ‘ralé’ e identificar os verdadeiros criminosos! Nunca se esqueçam que a ‘policização’ do Judiciário não começou com o ministro Alexandre de Moraes”. A seletividade punitiva parte de um olhar policial, que se prolonga no olhar de promotores de justiça e magistrados”.

Já o Promotor de Justiça, Haroldo Caetano, lembrou do médico do Século XIX, Cesare Lombroso, que fez muito sucesso na época com a teoria de que conseguia distinguir quem tinha tendência à criminalidade apenas pelas características físicas. Teoria do médico ficou conhecida como uma das mais racistas, visto que ele descrevia o criminoso com os traços de pessoas negras. “Lombroso assume o Ministério da Justiça anunciando velhas novidades”, afirmou o promotor..

Artigos Relacionados

A espiral da exceção e a encenação do Estado de Direito A espiral da exceção e a encenação do Estado de Direito
GOLPE O vácuo deixado pelo atual processo de formação do profissional do direito muitas...
Ministério da Justiça prorroga até dezembro suspensão de ações de direitos humanos Ministério da Justiça prorroga até dezembro suspensão de ações de direitos humanos
GOVERNO TEMER Alexandre de Moraes congelou toda verba destinada a contratos e convênios, a...
TRF derruba decisão que barrou nomeação do ministro da Justiça TRF derruba decisão que barrou nomeação do ministro da Justiça
SUSPENSÃO Na decisão, o magistrado entendeu que o ministro deve continuar no cargo até decis...

Leia mais

Correio Caros Amigos

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×