Agosto 8, 2022

CAROS AMIGOS, FUTEBOL AO VIVO, TV E NOTÍCIAS

CAROS AMIGOS, ESPORTES AO VIVO, REALITY SHOW E NOTÍCIAS EM GERAL

Analisando o tempo de Gabriel Jesus em Manchester City

3 min read

O tempo de Gabriel Jesus no Estádio Etihad chegou ao fim. O atacante brasileiro arrumou seu armário no Campus Etihad, as mais modernas instalações de treinamento do Manchester City, no noroeste da Inglaterra, e fez a viagem para Londres para se juntar ao Arsenal, time da Premier League, por uma taxa que se acredita ser da ordem de £45 milhões.

É difícil acreditar que o atacante de 25 anos estivesse no Manchester City por cinco temporadas e meia, fazendo a troca direta do Brasileiro Série A do Palmeiras para o time principal do Pep Guardiola em janeiro de 2017 – mas muitas vezes ele tinha que jogar melhor do que o argentino Sergio Agüero, que deixou o clube para o Barcelona como seu maior artilheiro de todos os tempos no inverno passado.

Mas mesmo com ‘Kun’ passando a melhor parte das duas últimas temporadas no Man City na mesa de tratamento do Campus Etihad, ainda havia a sensação de que Guardiola não estava disposto a confiar em Jesus como seu número nove – e isso se tornou ainda mais aparente na última temporada.

Com a ida de Agüero ao Barça, uma jogada que mais tarde terminaria tragicamente, já que o argentino tinha que terminar sua carreira prematuramente devido a um grave problema cardíaco, Jesus ainda não recebeu as rédeas como o atacante número um do Manchester City – começando apenas 55% de seus 38 jogos da Premier League, apesar de ter sido o único atacante reconhecido no elenco.

Se isso não fosse um sinal suficientemente grande para Jesus de que ele nunca será o homem principal no vestiário do craque Etihad, então a chegada de Erling Haaland do Borussia Dortmund e do promissor Julián Álvarez – outro espinho argentino em seu time – certamente teria disparado os sinos de alarme.

Mas essa é a dura realidade do futebol de elite. O objetivo do Manchester City no início de cada temporada é ganhar todos os troféus de prata que puderem, e eles são freqüentemente favoritos para fazê-lo nas probabilidades de apostas esportivas, mas Jesus claramente não é o tipo de atacante que vai dispará-los para uma abundância de troféus como Agüero, que deixou botas tão grandes para encher por uma armação relativamente pequena.

Era claro que essas duas contratações significavam o fim de uma era em Manchester para Jesus, mas é uma bênção em muitos aspectos para o brasileiro – especialmente por ser um ano de Copa do Mundo e posições no elenco da Seleção de Tite tão ferozes nas áreas de ataque.

Com esta última transferência, ele irá para os Emirados e provavelmente se tornará o poder de fogo de Mikel Arteta na frente, com a provável chegada de Raphinha fornecendo as chances em um ataque de Samba também com Gabriel Martinelli.

Embora Jesus nunca tenha realmente alcançado o status na seleção da Cidade dos Homens, ele provavelmente teria gostado, e talvez sinta que foi injustamente negligenciado pelo Guardiola às vezes, seu tempo no clube certamente não foi um fracasso. Ele se dirige aos Emirados com quatro títulos da Premier League, três Copas da Liga e uma FA Cup, enquanto ele contribuiu para 141 gols em 246 partidas (95 gols e 46 assistências).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.